252 996 877  934 832 287 | 932 090 800  [email protected] 

                

O Programa Erasmus oferece oportunidades valiosas e inestimáveis de recursos de aprendizagem e mobilidade para a consecução de objetivos de ensino, aprendizagem e formação, acrescentando uma dimensão europeia à visão e à missão do Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado.
A internacionalização de uma escola constitui uma forma de extensão das suas comunidades de aprendizagem, promove novas parcerias e proporciona novas experiências de desenvolvimento de competências. Multiplicam-se os saberes e as boas práticas; incrementa-se o trabalho colaborativo e a partilha de preocupações e problemas, e suas possíveis soluções.
O processo de internacionalização do AEPBS tem-se consolidado nos últimos anos. Estas experiências têm-se concretizado através de várias ações, que incluem projetos de intercâmbio escolar sem financiamento, e, já no âmbito do Programa Erasmus, através de projetos eTwinning, estágios no estrangeiro para alunos, parcerias estratégicas para intercâmbio de boas práticas e formação no estrangeiro para staff.
As várias ações de âmbito internacional, que se têm implementado, promovidas pelo Programa Erasmus, vão ao encontro das sugestões de melhoria resultantes dos processos de avaliação externa e interna do AEPBS. Procura-se melhorar e desenvolver processos, num tempo de mudança constante e de inovação, em que a partilha de práticas, a renovação de saberes e a inovação se afiguram como o caminho mais fiável para o sucesso.
As estratégias de âmbito europeu vêm juntar-se às ações já implementadas de promoção do sucesso escolar e educativo em diversas áreas curriculares e níveis de ensino, abarcando tanto os seus alunos como os docentes e não docentes, as famílias e a comunidade envolvente.
As ações abrangidas pelo Programa Erasmus destinam-se globalmente a todo o AEPBS, transversalmente percecionado, vertical e horizontalmente, baseando-se no pressuposto de que todas as ações se intercecionam e complementam, concorrendo conjuntamente para o mesmo fim. A colaboração com novos parceiros, as (com)vivências entre culturas e diferentes realidades geográficas alargam perspetivas, acrescentam horizontes ao nosso horizonte, aprofundam o nosso olhar sobre o mundo e permitem-nos aprender sem fronteiras.